15 de outubro: o poder libertador da educação para todas as pessoas

191

COLUNA Feminismos com Paula Lau (EàE-RS)

Antonieta de Barros é homenageada em mural no centro de Florianópolis. Foto Reprodução

Uma das três primeiras mulheres eleitas no Brasil (a primeira negra), sua bandeira política era o poder libertador da educação para todas as pessoas: Antonieta de Barros (1901-1952), a parlamentar negra pioneira que criou o Dia das/dos Professoras e Professores. Em um país que tem Paulo Freire como patrono da educação, é necessário e justo dar visibilidade e ecoar vozes para mulheres como Antonieta de Barros e Lélia Gonzalez, invisibilizadas e silenciadas pelo patriarcado e pelo racismo.

O marco do 15 de outubro é resultado do trabalho, persistência e rompimento de barreiras raciais, de gênero e de classe de uma filha de ex-escravos (Antonieta foi eleita menos de meio século após a abolição da escravatura), que acreditava que a educação era o caminho para o futuro. A professora, jornalista, escritora e política Antonieta de Barros instituiu o dia para que educadoras e educadores ganhassem visibilidade como importantes agentes das necessárias mudanças na sociedade. Ela foi inicialmente eleita deputada em 1934 para a Assembleia Legislativa de Santa Catarina, sendo natural de Florianópolis. Escreveu dois capítulos da constituição catarinense, sobre Educação e Cultura e Funcionalismo, até ser destituída do cargo pelo golpe de Getúlio Vargas.

Pela Lei nº 145, de 12 de outubro de 1948, Antonieta criou o Dia da/do Professora e Professor, para em outubro de 1963, o então presidente João Goulart, tornar a lei nacional.

Sua defesa pela educação fez com que ocupasse as páginas dos jornais. Além de professora, virou cronista. Em 23 anos de trabalho para a imprensa escreveu mais de mil artigos em oito veículos e criou a revista Vida Ilhoa. Era respeitada e admirada por seu espírito de justiça.

Além de um dia para celebrar a importância de valorizar educadoras e educadores, Antonieta de Barros criou outras leis importantes, como bolsas de cursos superiores para alunas e alunos em situação de vulnerabilidade social e concursos para o magistério, para elevar o ensino público e evitar apadrinhamentos.

“A grandeza da vida, a magnitude da vida, gira em torno da educação.” Antonieta de Barros, uma ser humana visionária!

#antonietadebarros
#educação
#cultura
#politicapublica
#mulher

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui