Um país virando pó

128
Charge de Ribs.

Onde houver alguma demanda, aí estará o deus-mercado, com sua mão bem visível, a suprir tais necessidades. E da oportunidade de mercado retirará todo o lucro possível, explorando os recursos humanos e naturais que atendam ao seu único objetivo.

Charge de Ribs.

Não é diferente com o mercado de drogas. Como há demanda, e muita, certamente o dono do negócio, aquele que detém os meios de produção necessários à sua viabilidade econômica, não é o favelado, não é o jovem negro da comunidade, pois esse é apenas mais um explorado ao limite da liberdade ou da morte para azeitar a engrenagem de tão rico e lucrativo mercado.

É assim que funciona o capitalismo. E enquanto a polícia ataca e mata o “pequeno-burguês” do mercado das drogas, o pequeno traficante das quebradas, o lucro, os grandes investimentos, o mercado, enfim, está nas mãos dos grandes produtores e comerciantes, que se vestem bem, têm carros e propriedades caros e usam de meios inusitados para fazer prosperar seu mercado ilegal, inclusive aviões presidenciais, desde que seus ocupantes sejam, por exemplo, milicianos bem conhecidos.

Enquanto a riqueza de tão lucrativo mercado enche as burras dos engravatados, os demais sofrem a repressão inclemente do aparelho estatal apropriado, garantindo assim que os lucros continuem nas mãos dos mesmos engravatados de sempre. Ou seja, a polícia é parte da engrenagem desse narcomercado.

E o que se vê nesse (des)governo, a partir da denúncia vergonhosa do uso do avião presidencial para o tráfico internacional de drogas, é a confirmação daquilo que dele já se esperava, afinal, uma equipe montada a partir de amigos e comparsas ligados às milícias fluminenses não se poderia mesmo ter outro resultado. Mas também evidencia ao povo brasileiro que o crime organizado se instalou definitivamente na cúpula do governo federal.

Nosso país está-se esfarelando em pó…

 

Publicado no Facebook 26 de junho de 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui